Agregação plaquetária

6 mar 2012 A, Exames

Comentários

O teste está indicado na investigação das anormalidades funcionais (qualitativas) das plaquetas, tanto congênitas quanto adquiridas (uso de aspirina, uremia, gamopatias monoclonais). Nos testes de agregação plaquetária verificamos resposta à adição dos agentes agregantes: adenosina difosfato (ADP); adrenalina; colágeno e ristocetina. Na doença de von illebrand e na doença de Bernard Soulier a agregação frente à ristocetina é caracteristicamente anormal. Na Trombastenia de Glazmann a agregação está diminuída com todos os agregantes, exceto com a ristocetina.

Método

Óptico (agregômetro de plaquetas)

Condição

Sangue total (4 tubos de citrato + 1 tubo EDTA).

Jejum Obrigatória  8h.

Informações necessárias

Informar motivo da realização do exame e medicamentos em uso. Algumas drogas podem afetar os testes de agregação plaquetária (aspirina, dipiridamol, anti-inflamatório não-hormonal, etc), e o paciente deve ser questionado sobre o seu uso nos últimos 7 dias.

Fazer levantamento histórico de sangramento em membranas mucosas, epistaxes, menorragias, sangramento intra ou pós-operatório anormal, aparecimento de manchas roxas, petéquias e doenças de coagulação na família.

Deixe um comentário

Search

+