Alfa-fetoproteína

6 mar 2012 A, Exames

Comentários

A alfa-fetoproteína (AFP) é uma glicoproteína fetal. Níveis baixos são esperados em adultos (não grávidas). Está aumentada no carcinoma hepatocelular, carcinoma de células germinativas de ovário e testículo, teratocarcinoma testicular, cânceres de pâncreas, gástrico, broncogênico e de cólon. Seus níveis monitoram a terapia antineoplásica.

Também está aumentada em doenças hepáticas benignas (hepatite viral, cirrose pós- ecrótica, cirrose de Laënnec, cirrose biliar primária), na tirosinemia hereditária e na persistência hereditária de AFP.

A AFP encontra-se elevada no soro materno e no líquido amniótico em casos de defeitos do tubo neural. Outras entidades que podem apresentar AFP elevada na gestação são: defeitos abertos da parede abdominal (gastrosquise e onfalocele), gemelaridade, nefrose fetal. Concentrações baixas estão associadas a anomalias cromossômicas, como a Síndrome de Down. Um dos princípios que norteiam o rastreamento de anomalias fetais no período pré-natal é a utilização de uma curva de distibuição normal da população alvo, com cálculo da mediana para cada idade gestacional. Vários fatores influenciam a interpretação clínica das dosagens de AFP como a idade gestacional, o peso materno, raça e presença ou não de diabetes melito. A associação da AFP a outros parâmetros bioquímicos (Beta HCG e estriol livre) e a dados clínicos e ultra-sonográficos aumenta sua sensibilidade na triagem de anomalias fetais.

Veja também Risco fetal.

Método

Imunofluorimetria

Informações necessárias

Se grávida, informar tempo de gestação.

SANGUE

Condição

– 0,5mL de soro.

– Jejum Desejável 4h.

Conservação para envio

Até 4 dias entre 2o e 8oC.

LÍQUIDOS

líquido amniótico

líquido pleural

líquido ascítico

líquor

Condição

0,5mL

Deixe um comentário

Search

+