Prevenção à osteoporose deve começar na infância

25 jun 2012 Dicas de Saúde

A osteoporose deve ser prevenida desde a infância. O alerta do Ministério da Saúde para hoje (20), dia mundial de combate à doença, será tema da campanha que começa no dia 22 de outubro. A mobilização nacional tem o objetivo de reduzir a incidência da doença, que atualmente atinge 10 milhões de brasileiros. O tema é “Prevenção da osteoporose: da criança à pessoa idosa” e chama a atenção para o fato de que a adoção de hábitos saudáveis pelas crianças pode prevenir, ou minimizar o aparecimento da doença na vida adulta.

A osteoporose faz parte do processo natural de envelhecimento e caracteriza-se pela diminuição substancial da massa óssea que provoca ossos ocos, finos e de extrema sensibilidade, mais sujeitos à fraturas. “É uma doença silenciosa e que causa muito sofrimento, já que, geralmente, é descoberta em idosos, após fratura provocada por uma queda e até escorregão”, explica a coordenadora da Saúde do Idoso, do Ministério da Saúde, Luiza Machado.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), no mundo, 13% a 18% das mulheres e 3% a 6% dos homens, acima de 50 anos, sofrem com a osteoporose. No Brasil, o número de pessoas que possuem a doença chega a 10 milhões e os gastos com o tratamento e a assistência no Sistema Único de Saúde (SUS), são altos. “Só em 2010, o SUS gastou aproximadamente R$ 81 milhões para a atenção ao paciente portador de osteoporose e vítima de quedas e fraturas”, informa Luiza Machado.

A meta do governo federal é reduzir em 2%, ao ano, a taxa de internação hospitalar por fratura de fêmur em pessoas idosas. Apenas, em 2010, foram internados 74 mil brasileiros na rede pública por fratura de fêmur. Para isso, o governo federal firmou acordo com estados e municípios (com população acima de 100 mil habitantes), para a redução progressiva de internações por fratura de fêmur, desde 2008 com o Pacto Pela Vida.

 

O que é Osteoporose?

Osteoporose é uma doença que pode atingir todos os ossos do corpo, fazendo que fiquem fracos a ponto de quebrarem ao mínimo esforço.

Principais Tipos

– Osteoporose pós-menopausa: atinge mulheres após a menopausa. Pode ocorrer fratura da coluna.

– Osteoporose senil: atinge pessoas com mais de 70 anos. Pode ocorrer tanto a fratura de coluna quanto a de quadril.

– Osteoporose secundária: atinge pessoas com doença renal hepática, endócrina, hematológica ou que usam alguns medicamentos, por exemplo, corticoides.

Fatores de risco para Osteoporose

– Menopausa: com a interrupção da menstruação, ocorre a diminuição dos níveis de estrógeno (hormônio feminino), que é fundamental para manter a massa óssea.

– Envelhecimento: a perda de massa óssea aumenta com a idade.

– Hereditariedade: a osteoporose é mais frequente em pessoas com antecedentes familiares da doença.

Hábitos Saudáveis

Para lutar contra a estimativa de 1 milhão de brasileiros com fraturas osteoporóticas a cada ano, o Ministério da Saúde aposta nas ações de prevenção ainda na infância, já que é nesta fase que o indivíduo ganha estatura, fortifica seu esqueleto e adquire o máximo de massa óssea possível. “É preciso aumentar na dieta das crianças o consumo de leite e derivados, que possuem alto índice de cálcio e diminuir o de refrigerantes. Outras fontes potenciais de cálcio são os vegetais de cor verde escuro, os peixes e os alimentos oleaginosos, como castanhas e nozes”, orienta a coordenadora.

Outra recomendação do Ministério da Saúde é a prática de atividade física regular, pois, assim como os músculos, os ossos se tornam mais fortes com os exercícios. A exposição ao sol, de 15 a 20 minutos, em horário correto, também é um hábito importante para a prevenção da osteoporose, já que a luz do sol é fonte de vitamina D, que ajuda na fixação do cálcio nos ossos e diminui o risco de osteoporose na fase adulta. “Temos que motivar à criança a sair de frente do computador e da televisão e brincar ao ar livre”, alerta Luiza Machado.

Tratamento

A recomendação do Ministério da Saúde é que mulheres e homens, ao entrarem na menopausa e andropausa, ou os acima de 60 anos, procurem uma unidade de saúde para avaliação médica. Nos casos indicados, poderão ser realizados o exame de desintometria óssea, capaz de detectar o desgaste dos ossos, a osteopenia -fase inicial da osteoporose- e até a própria osteoporose.

O tratamento da doença inclui alimentação rica em cálcio e medicamentos que potencializam a absorção de cálcio pelo osso, além de atividade física regular, exposição solar e prevenção de quedas, que se ocorrerem, podem agravar a situação do indivíduo. “O SUS garante o tratamento, que pode ser feito nas unidades de saúde. Os medicamentos para o tratamento de osteoporose estão disponíveis tanto na rede, quanto no programa Farmácia Popular do Brasil”, enfatiza a coordenadora Luiza Machado.

A importância da dieta

A recomendação de cálcio é de 1.200 mg/dia para adultos e de 1.500 mg/dia para mulheres no período pós-menopausa. Segue abaixo uma tabela com os principais alimentos ricos em cálcio, bem como a quantidade desse mineral na porção recomendada:

Alimentos

Quantidade

Cálcio(mg)

Leite integral não suplementado

1 copo – 200 ml

228

Leite desnatado não suplementado

1 copo – 200 ml

246

Leite de soja

1 copo – 200 ml

80

Leite de cabra

1 copo – 200 ml

380

Queijo minas fresco

1 fatia – 30 g

205

Queijo prato

1 fatia fina – 15 g

126

Queijo parmesão

1 colher de sob. – 10 mg

114

Requeijão

1 porção – 20 g

113

Iogurte

1 pote – 200 ml

240

Espinafre

2 colheres de sopa – 60 g

47

Couve-manteiga

3 colheres de sopa – 36 g

73

Escarola

3 colheres de sopa – 36 g

29

Agrião

1 prato de sob. – 20 g

24

Brócolis

3 colheres de sopa – 36 g

37

Sardinha

1 porção – 30 g

86

Ostras

1 porção – 240 g

235

Search

+